reinventar.png

Diagnóstico / Contextualização

O projeto educativo do Agrupamento Martinho Árias menciona a leitura como área de intervenção ao nível do Ensino e Aprendizagem. Os planos de leitura implementados no Agrupamento têm-se baseado na transversalidade da leitura e da escrita a todas as áreas curriculares, valorizando o seu papel nas iniciativas implementadas em contexto letivo e junto de toda a comunidade. A RBS têm-se assumido como organizadora e dinamizadora de grande nº de iniciativas, tendo um papel aglutinador e de articulação entre os diferentes ciclos de ensino, e as diversas atividades curriculares implementadas pelas escolas, de cooperação com outras entidades, realçando o papel social da leitura, envolvendo a partilha de experiências e vivências intergeracionais.

O impacto deste trabalho tem sido bastante positivo ao nível das mudanças nas atitudes e respostas dos alunos em relação às atividades desenvolvidas, ao crescimento do trabalho com as turmas em projetos e atividades de leitura, à valorização e integração da leitura na vida pessoal e escolar dos alunos, à mudança das representações dos professores e dos pais acerca da importância da leitura. A cultura integral de leitura, desenvolvida ao nível da RBS, tem vindo a evidenciar-se num maior envolvimento da comunidade em geral, visível na adesão deste público às ações apresentadas.

Neste sentido, o plano que agora se apresenta, assenta na diversificação de estratégias, numa atitude aberta, flexível onde cabem múltiplos percursos de leitura, os percursos que a diversidade do Agrupamento integra e que a nível concelhio o plano envolve.

Na ação 3, o plano integra o desenvolvimento e aprofundamento das ações de trabalho de continuidade e que consideramos como boas práticas, ao nível do AES e da RBS pois, potenciam a leitura, articulando-a com as práticas curriculares, envolvendo diferentes públicos, proporcionando um efetivo contacto com o livro, e com os seus autores.

As ações 1 e 2 são os domínios a exigir um maior investimento na escola e a nível da rede concelhia de leitura, e que implicam dar uma maior visibilidade à leitura, através da divulgação das atividades de leitura como prática cultural, articulando a leitura recreativa com diversas expressões artísticas e culturais (ação 1) e as ações que resultam da necessidade de introduzir novos recursos, tecnologias e ambientes digitais nas atividades de promoção da leitura, da escrita e das literacias, de forma a responder às mudanças nas atitudes leitoras e aos novos modos de ler (ação 2).